As fotos do Mundial

Em breve contamos toda a história… Para já fiquem com algumas fotos. Podem também conhecer o nosso percurso aqui

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com as etiquetas

See you there! Ahi nos vemos!

See you there! Ahi nos vemos!

Já estamos a fazer as malas! Saímos segunda-feira!

Costa Alentejana II

Na Arrábida, chegamos a este cenário e foi aqui que pernoitamos….

Em direcção a Montemor-o-Novo… O Alentejo é plano e as estradas rectas….

 

Com as etiquetas , , , , , , , ,

No Cabo…

Rumar a sul com o sol já a tocar o horizonte…

Com as etiquetas , , , , , , ,

A Sul…


20121013-114533.jpg

Desta vez viajamos ao sul e o mar acompanhou-nos da Arrábida a Porto Covo…

20121013-114732.jpg

Ready?…

Ready?...

A nossa AK está sempre pronta para mais uma viagem, ansiosa por se fazer à estrada…

Com as etiquetas , , , , , , , ,

Viagens pela Costa Portuguesa – da Torreira à Figueira da Foz

Este fim-de-semana deu azo a uma nova escapadinha na AK, para descansar e aproveitar o sol da praia. Saímos de Coimbra à noite (coisas do trabalho!) rumando à praia de S. Jacinto pelo trajecto mais curto – que, depois de Águeda deixa a N1 e segue por uma série de pequenas povoações até Estarreja e daí em direcção à Praia da Torreira.  Está bem de ver de onde vem o nome, mas não foi o caso porque quando lá passamos ia a noite bem entrada. É aqui que chegamos às estradas costeiras, ainda que a água que vemos ao nosso lado esquerdo não seja do mar – é a da ria de Aveiro. Até S. Jacinto, a estrada seguirá por uma estreita língua de areia que já vem desde o Furadouro (onde dormimos no ano passado), delimitada pela ria, à esquerda, e as dunas e o mar, à nossa direita. Ao longo da estrada, dezenas, centenas de pescadores, de cana na mão. apesar do avançado da hora… Só depois de chegar a S. Jacinto e cortarmos à direita para a praia onde dormimos é que vemos o mar. O parque de estacionamento tinha umas 10 autocaravanas mas aquela hora estava calmo.A AK embalou-nos uma vez mais, entre as outras autocaravanas, ao som do mar.

Horas depois somos acordados pelos primeiros banhistas a chegar à praia de carro. Portas a bater, lancheiras e guarda-sóis e toalhas que lhes saem das entranhas. Para nós era tempo de procurar um local mais reservado, para o nosso pequeno-almoço. Eis-nos nas dunas, com vista para o mar.

Pequeno-almoço nas Dunas

Depois de uma ida à praia o almoço foi no restaurante “A Peixaria”, em S. Jacinto, por onde já passamos várias vezes e de onde saímos sempre satisfeitos – convém chegar cedo e com tempo para esperar, mas tem valido a pena. Se o Robalo que comemos estivesse mais fresco provavelmente tinha-nos saltado do prato.

Robalo Grelhado

Depois da travessia de cruzar a ria, no ferry que liga à Praia da Barra, seguimos sempre para sul, procurando o mais possível acompanhar a costa – nem sempre as ruas confusas e apinhadas de carros mal estacionados dos banhistas ajudaram, mas fez-se o que se pode… Costa Nova, Vagueira, Areão, Praia de Mira. Toda uma série de praias que, só não são mais espectaculares porque estão invadidas por gente descuidada, lixo e por construção desregrada…

Uma AZU que vimos na Praia da Barra e onde deixamos uma mensagem!

Na Praia de Mira inicia-se um extenso pinhal, que preenche a costa até Quiaios. Por entre este pinhal ciruclamos naquela que é provavelmente uma das piores estradas do país – Estrada Florestal 1, praticamente uma recta de 23km de buracos e trepidação. A estrada era fantástica, bem pensada, com marcas claras do estado novo, está pontuada por abrigos de floresta, sinalética da época, pequenos pontões e um piso de macadame que não vê reparação há mais de 30 anos…

Chegamos assim a Quiaios, no sopé da Serra da Boa Viagem. Mais uma boa praia – melhor se evitamos a zona dos grandes estacionamentos e nos aproximamos das falésias do Cabo Mondego, em Murtinheira, onde a faixa de areia vai ficando mais estreita até dar lugar ao maciço rochoso.

Entre a Praia da Murtinheira (Quiaios) e a Serra da Boa Viagem

Daqui cruzamos a Serra em direcção à Figueira da Foz subindo estas mesmas falésias do Cabo Mondego – uma caminho de terra através da cimenteira mas sempre com vista para o mar, numa altura em que o sol já se aproximada do horizonte.

Já estávamos perto de casa e era tempo de regressar. Evitando a auto-estrada, seguimos sempre junto ao Rio Mondego por Lares e Montemor-o-Velho.

Podem ver o trajecto completo aqui

Com as etiquetas , , , ,

Na Serra da Lousã

Interior

Viajar na AK através da Serra da Lousã

Em 2011, depois de vermos Gothan Project e Legendary Tiger Man ao vivo no Festival do Crato, regressamos a Coimbra com passagem na Serra da Lousã, pouco antes de chegar a casa… Um fim de dia, com esta paisagem…

Com as etiquetas , , ,

Um Café no Pop-Cross

Um Café no Pop-Cross

Fomos ao 3º Encontro Nacional 2Cv de Mangualde. Enquanto os carros corriam lá atrás criando imensas nuvens de pó, na AK saía um daqueles cafés que sempre nos sabem a viagem…

Com as etiquetas , , , , , ,